Sem divulgar as datas de lançamento, a cantora falou sobre o conteúdo de duas músicas novas

Ansiosa pelo retorno das apresentações ao vivo, Sigrid realizou um show virtual intimista nesta quinta-feira (29) e, ao entrar na chamada de vídeo, declarou que sentia como se estivesse “voltando para uma turnê”.

TMDQA! participou do evento, que contou com outros veículos de comunicação e fã-clubes, e te conta tudo que rolou por lá.

Inicialmente, a cantora norueguesa de 24 anos de idade descreveu como foi o seu período de quarentena causado pela pandemia da COVID-19 e o processo de produção de algumas músicas enquanto estava isolada.

Apontado por ela como um momento interessante, mas ao mesmo tempo muito difícil para todos, especialmente para a indústria da música, Sigrid disse:

É difícil não ter shows e não encontrar ninguém, nem os meus fãs, e ficar apenas em casa. Mas eu tento ver o lado bom das coisas, então também foi bom poder ficar em casa por mais de uma semana.

Falando em termos criativos, minha música acabou sendo influenciada pela forma como temos trabalhado porque, diferentemente da última vez, agora nós tivemos um processo mais tranquilo. Agora eu pude fazer vários takes da minha voz e antes foi tudo muito rápido por causa da agenda de shows. Tem sido mais aconchegante dessa vez.


Novas músicas de Sigrid

Acompanhada apenas por um teclado, a cantora Pop apresentou uma bela versão de “Mirror”, seu primeiro single depois do lançamento do seu álbum de estreia Sucker Punch, de 2019.

A faixa, que originalmente tem uma sonoridade dançante e chegou em Junho deste ano, ganhou uma versão delicada bem parecida com a versão acústica da música, interpretada com um piano e lançada recentemente, como você pode conferir no vídeo ao final da matéria.

Ao longo do encontro, Sigrid surpreendeu ao apresentar duas músicas inéditas, que possivelmente serão disponibilizadas em breve. Sobre uma das faixas, Sigrid declarou:

A coisa especial sobre ela é que ela tem tudo que eu quero numa música. Tem o drama, a tensão, a história, que é real, tem muita emoção nela. Tem um pouquinho de agressividade, mas é porque quando eu estou no palco, eu realmente me sinto como uma super heroína, como se eu fosse a mais legal, tipo ‘sim, eu consigo’, e essa sensação realmente inspirou essa música a ser o que é.

Já com relação à outra música nova, a cantora confessou que é a sua favorita e fica arrepiada só em falar sobre ela. Sem muitos detalhes, ela disse:

[A música] é sobre se sentir presa entre a vida em casa e a vida na estrada, porque eu tenho muito isso. É um sentimento que alguns têm, que te intimida, estar preso entre duas coisas.

Relação com o público

Questionada sobre o público de diferentes idades que costuma assistir aos seus shows, Sigrid disse que não faz uma música pensando especificamente no público, mas sim em algo que ela mesma quer ouvir e ficar animada.

Eu sempre tento deixar [a música] positiva, não necessariamente porque eu estou sempre feliz — tenho meus dias também, até escrevi uma música sobre isso, literalmente uma música sobre estar chateada — mas subir no palco e ficar alegre. Eu acho que precisamos da positividade, eu não sei, as vezes nós caímos em negatividade, mas eu sempre tento procurar aquela luz.

Sobre os fãs brasileiros, a cantora disse que o comentário “come to Brazil” (“venha para o Brasil”) é um clássico em suas redes sociais. Sigrid tentou se lembrar da primeira vez que viu um pedido desses e disse que provavelmente foi através de sua amiga, a cantora norueguesa AURORA, que ela descreveu como uma artista “muito grande na América do Sul”.

Para a felicidade dos fãs, a jovem expressou seu desejo de conhecer o Brasil e aprender mais sobre a cultura do país. Ela ainda revelou que seu manager é “meio brasileiro”.

Sigrid e Neil Young

Quando conversamos com Sigrid no início deste mês, ela revelou que entre suas inspirações e influências gerais estava o lendário Neil Young, que cresceu ouvindo junto com os pais.

No encontro virtual desta quinta-feira, a cantora voltou a citar o artista e dessa vez para confessar que, se tivesse a oportunidade, gostaria de fazer uma colaboração com ele.

Minha porta está sempre aberta, seria muito legal colaborar com alguém. Sou fã de muitos artistas, eu não sei… isso é muito irreal, mas se Neil Young ligasse, eu estou aqui. Ele é o maior herói da minha família, o ouvi na minha infância inteira.

Sem revelar a possível data de lançamento do seu segundo disco, a ótima cantora encerrou seu show virtual com uma performance de “Strangers”, uma de suas músicas mais famosas que integra o álbum Sucker Punch.