Caminhando para os 30 anos, Neymar segue repetindo erro juvenil de desafiar a imprensa. Quer apenas elogios, palmas. Toma atitudes criticáveis, mas não aceita críticas. Por isso, não amadurece


São Paulo, Brasil

"Calma, Neymar, calma. Isso que falta um pouquinho no Neymar. Você não vê o Messi fazer isso. Falta um pouquinho ainda ao Neymar esse autocontrole porque o Messi apanha tanto quanto ele."


O narrador da TV Globo, Galvão Bueno, comentou o cartão amarelo infantil que Neymar tomou ao dar uma cotovelada no peruano Callens, aos 44 minutos do segundo tempo.

Foi a senha para a irmã do jogador, Rafaela, atacar o narrador nas redes sociais.

"Galvão para de querer ficar comparando Neymar e Messi. Não existe isso, para com isso, meu filho. Os dois são caçados, os dois apanham, legal.

"Vai lá você entrar em campo e apanhar como ele apanha e não tem que falar nada. Que conduta o quê.

"Não é você que sente dor depois do jogo não, né?

"Me poupe."

A raiva de Rafaela se extenderia a Neymar, após a partida. Quando ele disse que não sabia o que tinha de fazer para ser respeitado com a camisa da Seleção Brasileira. Mesmo tendo acabado de ser suspenso do jogo contra a Venezuela, por ter dado a cotovelada no zagueiro peruano.

Neymar segue agindo como um menino mimado.

Ele não aceita críticas. Só quer ser reverenciado, aplaudido, idolatrado.

E privilegiado por Tite.

O treinador segue assumindo que o jogador do PSG tem toda a liberdade em campo, pelo talento que tem.

Neymar no seu Instagram fez questão, após o jogo, postar a foto que tanto posou. Trincando a barriga, depois das críticas não só da imprensa brasileira, mas principalmente, da francesa, pela maneira que voltou das férias.

Com várias fotos de sua barriga inchada. 


Ele é atleta profissional, tem a obrigação de ter físico de atleta.

Levantar a camisa e mostrar que está em forma é apenas mais uma demonstração de insegurança.

A legenda que escreveu para sua foto é o resumo de quanto é egocêntrico.

"Gordinho bom de bola 藍 #RespeitaOPai."

Quem não se dá ao respeito é ele.

Quando ele demonstra o seu talento e o coloca à disposição do time sempre será respeitado pela imprensa. Agora, quando é egoísta será criticado. Quando vai a festas e posa para fotos sem máscaras na pandemia será criticado. Quando se reapresenta ao clube fora de forma, será criticado. 

Ninguém é obrigado a 'engoli-lo', como disse após a conquista da medalha de ouro em 2016. 


Enquanto ele for camisa 10 da seleção pentacampeã do mundo que, aliás, com Neymar, não conquistou nenhum mundial, será cobrado.

Galvão Bueno o comparou ontem a Messi.

Mas basta lembrar dos grandes jogadores da Seleção Brasileira.

O quanto Pelé, Ronaldo, Rivellino, Rivaldo, Tostão, Garrincha, Romário 'apanharam' e foram cobrados.


E responderam da melhor maneira.

Com conquistas, títulos mundiais ao Brasil.

Não escreveram o quanto são bons.

Nem em papel de carta, já que não existiam as redes sociais.

Respeito se conquista, não se pede...