Flu corre contra o tempo para fechar com lateral-direito na última semana para contratações


Cresceram as chances do Fluminense ser o próximo destino de Daniel Alves. Após fazer uma proposta na última terça-feira, o Tricolor recebeu uma contraproposta por parte do estafe do lateral-direito de 38 anos e agora busca chegar a um denominador comum para fechar a contratação do campeão olímpico, livre no mercado desde que rescindiu com o São Paulo na semana passada.


O prazo para inscrições no Campeonato Brasileiro se encerra nesta sexta-feira, 24 de setembro. Como Daniel Alves disputou apenas seis jogos nesta Série A, ele ainda pode ser inscrito por outro clube na mesma competição.



Além do Fluminense, outros três clubes do Brasil e dois do exterior haviam sinalizado interesse no campeão olímpico. Flamengo e Athletico-PR estão entre eles, mas houve estagnação nas conversas.

Sem cacife para competir com as cifras dos concorrentes mais ricos na disputa pelo lateral-direito de 38 anos, como por exemplo o Flamengo e os clubes do exterior, o Fluminense havia apostado suas fichas em um projeto para seduzir o jogador.

Daniel Alves tinha remuneração de R$ 1,5 milhão mensais no Morumbi. Para jogar no Fluminense, ele precisaria aceitar reduzir drasticamente esses vencimentos em mais da metade do valor e ter bônus por metas.



Além disso, a diretoria tricolor tem o conhecimento do desejo do lateral em disputar a Copa do Mundo do Catar no fim do ano que vem, e o próprio jogador sabe que as chances de uma convocação aumentarão se estiver em destaque em uma boa vitrine. Por isso, a proposta do Fluminense é por um contrato mais longo nas Laranjeiras, onde Daniel Alves poderia atingir 40 anos, assim como Nenê.



Daniel Alves chegou ao São Paulo em 2019 em uma contratação considerada como uma das maiores do futebol brasileiro. Campeão paulista nesta temporada, o lateral deixou o clube em razão de uma dívida milionária. No acordo de rescisão, o Tricolor Paulista se comprometeu a pagar parcelas mensais de R$ 400 mil ao longo de cinco anos, totalizando R$ 24 milhões.