Segundo colunista, o ministro do GSI afirmou que rezará para que o presidente não sofra um atentado fatal em 2022

Segundo informações de Guilherme Amado, colunista do portal Metrópoles, nesta terça-feira (14) o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, disse que está “muito preocupado” e rezará para que Jair Bolsonaro não sofra um atentado fatal no próximo ano.

As declarações teriam sido dadas durante a formatura do Curso de Aperfeiçoamento e Inteligência, para agentes já em atividade na Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Na gravação, compartilhada pelo Metrópoles, Heleno também teria dito que precisa tomar remédios para não levar Bolsonaro a tomar “uma atitude mais drástica” contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

– Tenho uma preocupação muito grande com esse 2022, porque acho também que uma medida muito simples para mudar, em dez segundos, 20 segundos, totalmente o panorama brasileiro. Um atentado ao presidente da República bem-sucedido modifica totalmente a história do Brasil. Tenho plena consciência disso – declarou.

– A partir da virada do ano, vou todo dia à igreja rezar alguma coisa. Vou ao Centro Espírita também, aos evangélicos, tudo o que tiver por aí, torcer para que ninguém adote essa solução, como uma solução que é. A solução mais rápida, mais viável, com mais resultado é eliminar a figura do presidente da República – acrescentou.

Heleno destacou ainda que os agentes serão importantes para evitar um eventual ataque contra Bolsonaro.